Monografia Simplificada

9 de julho de 2012

Noções básicas sobre amostragem probabilística

A amostragem será probabilística quando cada elemento da população tem uma probabilidade conhecida e igual de ser selecionado. Caso contrário, a amostragem será não probabilística. Segundo essa definição, a amostragem probabilística implica um sorteio com regras bem determinadas, cuja realização só será possível se a população for finita e totalmente acessível. 

A grande vantagem deste método é que os resultados obtidos na pesquisa podem ser projetados para a população total.


I- Tipos de amostragem probabilística:

a) Amostragem aleatória simples (AAS)

b) Amostragem estratificada;

c) Amostragem sistemática;

d) Amostragem por conglomerado;


a) A amostragem aleatória simples (AAS) se caracteriza pelo fato de todos os elementos da amostra têm a mesma probabilidade de ser incluído na amosta e  é a maneira mais fácil para selecionarmos uma amostra probabilística de uma população.


- pode ser feita amostragem aleatória simples sem reposição;

- pode ser feita amostragem aleatória simples com reposição.

A amostragem aleatória simples sem reposição é um processo bastante utilizado principalmente pela sua simplicidade. Nela cada unidade amostral, antes da tomada da amostra, tem igual probabilidade de pertencer à ela e quando a unidade é sorteada ela é removida da população ou seja, cada unidade só pode ser escolhida uma única vez.


Quando a população é muito grande, esse tipo de procedimento torna-se inviável. Nesse caso, usa-se um processo alternativo, no qual os elementos são numerados e em seguida sorteados por meio de uma tabela de números aleatórios, sorteando-se um elemento da população até que sejam sorteadas as unidades da amostra. Também neste caso todos os elementos devem ter a mesma probabilidade de ser selecionados.


A amostragem aleatória simples com reposição permite que cada elemento da população tenha a mesma probabilidade de ser selecionado e esta probabilidade se mantém constante ao longo de todo o processo de seleção da amostra (se as extrações fossem sem reposição isso não aconteceria). Ou seja, durante o sorteio, a unidade amostral já sorteada retorna para a população. Portanto em cada seleção a população mantém a mesma quantidade de unidades elementares para serem sorteadas.


Quando devemos utilizar amostras com reposição ou sem reposição?

Quando a população é grande (infinita) selecionar amostras com ou sem reposição não irá alterar a probabilidade do elemento seguinte ser selecionada.

Em geral, deve-se dar preferência ao tipo de amostragem aleatória simples sem reposição, principalmente quando se trata de populações com reduzido número de unidades amostrais.

Observação importante: 
Podemos ter uma AAS com reposição, se for permitido que uma unidade possa ser sorteada mais de uma vez, e sem reposição, se a unidade sorteada for removida da população.
Do ponto de vista da quantidade de informação contida na amostra, amostrar sem reposição é mais adequado A amostragem sem reposição é mais eficiente que a amostragem com reposição e reduz a variabilidade uma vez que não é possível retirar elementos extremos mais do que uma vez.


b) A amostragem aleatória estratificada deve ser realizada quando a população for constituída por diferentes estratos. Muitas vezes uma população é composta de subpopulações (ou estratos) bem definidos. A amostra estratificada deverá ser composta por elementos provenientes de todos os estratos.

IMPORTANTE: A seleção de cada estrato deve ser aleatória.

A amostra aleatória estratificada pode ser uniforme ou proporcional:
Apesar de a amostragem estratificada apresentar resultados satisfatórios, a sua implementação é dificultada quando não se tem todas as informações sobre a população para fazer a estratificação. Para poder contornar este problema, você pode trabalhar com o esquema de amostragem chamado amostragem por conglomerados.

Amostra estratificada uniforme:  É a forma mais comum de selecionar elementos de uma população, devemos sortear o MESMO número de elementos em cada estrato. Este tipo de amostra é recomendável apenas se os estratos da população forem pelo menos aproximadamente do mesmo tamanho.

Amostra estratificada proporcional: Quando existem diferentes estratos e estes, apesar de apresentarem grande homogeneidade dentro deles são heterogêneos entre eles. Sexo, idade, condição socioeconômica, são exemplos típicos. Por exemplo, se o interesse for avaliar a ocorrência de determinado agravo em uma cidade e as condições sociais das pessoas são diferentes em cada bairro então se devem levar em consideração cada extrato e o sorteio da amostra deve ser feito em cada um deles independentemente. Daí o nome de amostragem estratificada

Quando houver proporções diferentes entre os estratos da população é recomendável que o número de elementos sorteados em cada estrato sorteado seja proporcional ao número de elementos no estrato selecionado.

NUNCA SE ESQUECER QUE: se as proporções forem diferentes entre os estratos a seleção da amostra estratificada DEVERÁ SER PROPORCIONAL.

c) A amostragem sistemática: Quando os elementos da população se apresentam ordenados e a retirada dos elementos da amostra é feita periodicamente, temos uma amostragem sistemática. A principal vantagem da amostragem sistemática está na grande facilidade na determinação dos elementos da amostra. O perigo em adota-la está na possibilidade da existência de ciclos de variação da variável de interesse, especialmente se o período desses ciclos coincidir com o período de retirada dos elementos da amostra.

Por outro lado, se a ordem dos elementos na população não tiver qualquer relacionamento com a variável de interesse, então a amostragem sistemática terá efeitos equivalentes a casual simples, podendo ser utilizada sem restrições.


Quando temos uma população organizada, é mais fácil obter uma amostra sistemática do que uma amostra aleatória simples. Por exemplo, para obter uma amostra de 2% (proporção que já foi previamente estabelecida pelo cálculo do tamanho da amostra), dos prontuários dos pacientes de uma clínica, é mais fácil pegar o último de cada 50 prontuários do que fazer um sorteio até conseguir 2% do total de prontuário. As amostras sistemáticas são muito usadas, mas exigem especial preocupação com o sistema de seleção. Por exemplo, se os elementos da população estão em fila, não se deve selecionar os “primeiros”, ou os “últimos”, nem mesmo “os do meio”, é preciso percorrer toda a fila e escolher, por exemplo, o décimo de cada grupo de dez.

d) A amostragem por conglomerado ou cluster: 
Por Conglomerado entende-se um grupamento natural de elementos da população, os quais são bastante heterogêneos internamente em relação à característica estudada, porém de comportamento similar entre os conglomerados. Neste tipo de amostra é realizado o sorteio não dos indivíduos, mas de grupos naturalmente organizados (cidades, bairros, quarteirões, etc). Este tipo de amostragem é bastante útil quando não é possível obter uma listagem de todos os membros da população. Geralmente a amostragem por conglomerados está associada a outro tipo de amostragem probabilística. 

Em um primeiro momento sorteiam-se os conglomerados através de uma amostragem aleatória. Nos conglomerados sorteados realiza-se uma segunda fase da amostragem, geralmente do tipo simples ou sistemática. Um exemplo comum é utilizar os setores censitários como conglomerados para iniciar a obtenção de uma amostra representativa de um município. Outro exemplo seria selecionar, em um bairro, seis quarteirões. Cada quarteirão corresponde, assim, a um conglomerado. Posteriormente é efetuado o levantamento de dados na totalidade dos indivíduos (ou residências) existentes nesses seis conglomerados.


Comparativamente à amostragem aleatória simples, a amostragem por conglomerados é considerada menos representativa ou com maior viés. Contudo, tem a vantagem da praticidade, gerando pesquisas mais rápidas e baratas. A utilização da amostragem por conglomerados possibilita uma redução significativa do custo do processo de amostragem. Portanto, um conglomerado é um subgrupo da população, que individualmente reproduz a população, ou seja, individualmente os elementos que o compõem são muito heterogêneos entre si.

IMPORTANTE: A amostragem por conglomerado não é exclusiva de estudos que envolvem área geográfica. Ela pode ser utilizada também em situações quando não se possui o conhecimento de toda a população em que a população é heterogênea e não se possui uma lista contendo todos os nomes dos elementos da população (clínicas, escolas, indústrias, etc);

 Muitas vezes a amostragem por conglomerados pode ser uma opção quando é necessário selecionar 
amostras de uma população que seja heterogênea mas que, pelo fato de não se ter uma listagem dos elementos que pertencem a ela não se pode optar por uma amostragem estratificada (a qual necessita destas informações para que os estratos da população sejam identificados). 



13 comentários:

  1. Obrigado pelo post, foi util :)

    ResponderExcluir
  2. Obrigado foi muito útil.... :D

    ResponderExcluir
  3. obrigadooo, foi muito útil =D
    vlw mesmo ^^

    ResponderExcluir
  4. ótimo post, ficou excelente, parabéns!
    me ajudou bastante!
    valeu. =)

    ResponderExcluir
  5. otimoooooooooooooooooooo, muito bem explicado, obrigada!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Agradeço a todos. Minha intenção realmente é facilitar o trabalho do aluno que está iniciando e dificilmente encontra explicações em uma linguagem de fácil entendimento.
    Fico feliz por ter ajudado vocês.
    Nádia

    ResponderExcluir
  7. Muito bom!!! Gostaria de saber quais as vantagens e desvantagens da amostra probabilística aleatória estratificada?? E amostra conglomerado?

    ResponderExcluir
  8. FOI MUITO BOM ,CONTIUDO BEM DETALHADO E BEM EXPLICADA MUITO OBRIGADA

    ResponderExcluir
  9. É bastante explicito, valeu.

    ResponderExcluir
  10. Quanto à pergunta sobre as vantagens e desvantagens da amostra probabilística estratificada e a amostra por conglomerado. Aqui vai a resposta:A amostragem probabilística aleatória estratificada é recomendável apenas quando a população pode ser subdividida em subpopulações que são os estratos e estes devem ser homogêneos e pelo menos serem aproximadamente do mesmo tamanho. A grande vantagem deste tipo de amostra é que você pode generalizar os seus resultados. A AMOSTRA É FEITA A PARTIR DE INDIVÍDUOS DA POPULAÇÃO. No entanto, a desvantagem é que apesar de a amostragem estratificada apresentar resultados satisfatórios, muitas vezes a falta de informações sobre a população pode dificultar o processo de estratificação. Sumarizando, a amostragem estratificada proporcional apresenta os melhores resultados possíveis. A grande dificuldade em deve-se ao grau de conhecimento necessário sobre a população, que geralmente não existe ou é impraticável de ser obtido. Uma forma alternativa de amostragem consiste no uso de conglomerados.
    A amostragem por Conglomerado, A AMOSTRAGEM É FEITA A PARTIR DE GRUPOS (MORADORES DE UM DETERMINADO BAIRRO) E NÃO DE INDIVÍDUOS O primeiro passo para se usar este processo é especificar conglomerados apropriados. Os elementos em um conglomerado devem ter características similares. Este tipo de amostragem deve ser utilizado para reduzir custos de pesquisas que abrangem grande extensão de área, você tem uma maior facilidade para obter a amostra economiza dinheiro e tempo porque permite concentrar os sujeitos da pesquisa em áreas próximas,

    ESPERO TER AJUDADO.
    Nádia

    ResponderExcluir
  11. Muito bom, explicação clara e coesa. Parabéns

    ResponderExcluir
  12. Foi dificil percbr cm xplicacao d meu. Docent, nao pk ele nao sab talvz pela metodologia k ele usa, mas ctg é bm facil e simplificad

    ResponderExcluir

Não esqueça de informar seu nome. Vá até 'Comentar como:', logo abaixo do campo de comentários, e clique em 'Nome/URL'.
Seria muito bom conhecer você!